Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Oh captain! My captain!

" But only in their dreams can men be truly free. 'Twas always thus, and always thus will be."

Oh captain! My captain!

" But only in their dreams can men be truly free. 'Twas always thus, and always thus will be."

Ter | 10.05.16

Alerta: eu não estou à frente de nenhum clube de fãs da CP!

Antes de prosseguir com o que quero dizer, quero fazer a ressalva de que não gosto da pessoa de quem vou falar. Ou melhor, não gosto nem desgosto, é-me completamente indiferente. Fiquei um bocado confusa com tanta mimalhice na altura do caso das uvas sem grainhas e da coitada da empregada que tinha esta função, mas acabei por perceber que cada um tem as suas manias e que quando temos possibilidade de satisfazer os nossos caprichos, somos capazes de muita coisa. E se uvas sem grainhas é o capricho da Carolina Patrocínio, então o mundo pode viver bem com isso, digo eu! Posto isto, prossigamos.

Deixa-me irritada o ódio de estimação em que a Carolina Patrocínio se tornou. A mais recente polémica é a do decote vertiginoso que deixa ver os ossos do esterno. Eu nem sei bem qual é o verdadeiro problema: se é verem-se os ossos ou se é não haverem maminhas para ver. Porque todos sabemos que o mundo funciona melhor quando há maminhas ao barulho. Mas a questão é a seguinte: se a rapariga se sente confortável, se até dá um exemplo a toda a gente que a) tem os ossos do esterno saídos, b)não tem maminhas ou c) tem os ossos saídos e não tem maminhas ao usar decotes sem pudores, quem somos nós, zé povinho, para atirar ovos podres? É que há qualquer coisa neste universo que me escapa sempre ao alcance: é esta mania de atacar os outros só porque sim.

Cada um é livre de ter a sua opinião. Mas ter uma opinião não é o mesmo que atacar e fazer juízos de valor. Já com a questão do exercício físico é outra avalanche de comentários maliciosos. Que, no meu entender, para vos ser muito honesta, só espelham a enorme inveja e ressabiamento que muita gente sente por não ter o mesmo grau de motivação, dedicação e de massa muscular (e consequente massa gorda) da miúda. E atenção pessoas, eu nem gosto muito dela. Mas tiro-lhe 1000 chapéus por, mesmo quando estava grávida, levar uma rotina de exercícios (adaptados à condição) e continuar a fazer o que lhe dá prazer e, provavelmente, relaxa. Sobretudo numa altura em que o corpo, no caso dela, pode até não estar muito pesado, mas não deixa de estar a carregar um bebé e tudo que isso comporta: enjoos, cansaço, sono, etc.

Se as pessoas se sentem bem, seja com decotes sem maminhas/ossos saídos, seja a praticar exercício físico, não podemos respeitar? E depois surgem aquelas teorias da conspiração que ela faz tudo isto para chamar à atenção e ser polémica. É assim, ela tem um trabalho que lhe dá visibilidade, felizmente, pelo que sei, vive bem e desafogada. Acham mesmo que precisa de usar este tipo de coisas para que reparem nela? Eu estou desconfiada que se a rapariga espirrar, ainda a acusam de ter a ranheta a pingar no nariz.

Tudo isto só serve para dizer que me deixa triste que as pessoas saíam muito mais em prol do ataque, do rebaixar e diminuir do que para salientar os aspectos positivos. Tudo tem dois lados, duas versões e às vezes ficamos colados à que nos protege mais o ego. E há uma enorme diferença entre dizer "pessoalmente, não gosto", "faz-me um pouco de impressão" do que fazer ataques directos, como se estivéssemos em plena guerra do Vietname.

Calma mundo. Há problemas mais sérios que ossos a verem-se. A não ser, está claro, que o osso esteja efectivamente saído e a esvair-se em sangue!

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.